29/05/2009

Renúncia


Chega uma certa época em nossa vida que somos praticamente obrigados a renunciar algo ou alguém que faz parte de nossa historia, de nossos sentimentos, seja por causa de uma mudança de residência, emprego, relacionamento, pelo fato de queremos o melhor para nós ou pelo cansaço, por não suportar o fardo carregado.

Sempre estamos propícios às transformações, com perdas ou ganhos, renovando e prosperando nossas expectativas, nossos sonhos, desejos e rotina.

Querendo ou não deixamos laços para trás dando espaço para o novo, inédito e enigmático amanhã, fazendo-se assim nosso desenvolvimento humano ser mais sensato.

O mais difícil desta historia é renunciar algo que se considera essencial, algo que faz parte do seu dia a dia, do seu cotidiano ou costume, que esteja habituado a encontrar todos os dias e, de repente, desistir por não ter como prosseguir daquela forma. Como acontece com o amor em um relacionamento aparentemente sólido e de um dia pro outro termina, mesmo que, muitas vezes, nem sabemos o porquê.

Não importa se você é a mulher perfeita ou o homem exato, a vida nos prega peças e somos coagidos a desistir, transformar em memórias um lindo lance que poderia vingar da melhor maneira possível. Ou talvez seja ela nos poupando de aborrecimentos futuros... É, a vida é sábia..

Confesso que mudanças bruscas me assustam, mas, às vezes, é preciso para amadurecer, mesmo que seja na raça.


27/05/2009

Será que o amor é realmente cego?


Muitos, quando amam, tapam os olhos para os defeitos, amenizam situações desagradáveis, brigas e discussões, só para não brigar com seu amado. Não dá ouvidos para afronta, tenta reverter o ataque de ciúmes, deixa-se controlar pelos horários de saída, chegada, onde vai, com quem, que roupa.. enfim.

Assim vivem em seu mundinho a dois, com satisfações, perseguições, sufocando o dia a dia da vida rotineira de ambos, porém, felizes por saber que isso é “cuidado”, é amor incondicional, curiosidades.. claro, por que não?! Aff.

Ainda chamam isso de amor?

Amor, que eu saiba, é liberdade, é prosa, união, compreensão, companheirismo, é poder estar ao mesmo tempo respirar por ser um sentimento puro, dividir prazeres e, principalmente, saber dividir indiferenças e não ser criado em um cativeiro íntimo. Uma vida a dois não significa que tem que seguir literalmente a palavra “a dois”. Vamos abrir nossas mentes, ser mais coerentes.

Por meu consentimento isso se resume em medo de perder, insegurança, comodidade. Fecham-se o mundo em torno do matrimonio egocêntrico.

Quando não, temos que escutar excrementos só por que ele tem o “pavio curto”.

Às vezes ouço e não acredito em meus ouvidos.

Por isso eu sempre digo: Amor é sorte!


21/05/2009

Romantismo ou estratégia?



Hoje questionamos se ainda existe romantismo nas pessoas, principalmente nos homens, que são menos sensíveis que nós mulheres, fato!

Sempre nos deparamos com um “Don Juan” em alguma eventualidade, com um olhar sedutor, uma voz sensual, um brilho que te encanta e te envolve.

Ele nos oferecendo uma carona, um passeio, uma ida ao cinema. Quando aceitamos, nos abre a porta do carro, pergunta de sua vida, quais seus planos e te deixa em casa. Não passa 15 minutos seu celular toca, é ele querendo dizer “boa noite”.

No dia seguinte você desperta com o celular, ele dizendo: Bom dia, dormiu bem?

Com alguns dias de convívio não resistimos e sedemos as tentações do corpo, nos deixamos levar pelos momentos e pelas vontades, com aquela maravilhosa sintonia, quem resistiria?!

Não passa três dias ele começa a trabalhar demais, estudar para a prova do dia seguinte, visitar a mãe que esta doente que ele sequer havia citado, entre uma desculpa e outra ele desaparece. Incrível!

Será falta de domínio da parte da mulher? Imprudência, criatividade, ingenuidade ou excesso de tudo isso?
Cada ano que passa esta mais difícil entender o universo masculino ou esta tão fácil que perdemos o prazer de conquistá-los. Será que eles pensam o mesmo?

Claro que não podemos deixar de lado o contemporâneo feminino, acho que isso é contagioso, não?!
A verdade é que os dias de hoje não são diferentes do passado, o que falta é diálogo, antes de tudo procurar saber o que se passa no interior do seu parceiro, conhecê-lo melhor...

Todos temos o dom amar e ser amado, queremos um alguém do nosso lado, que seja perfeito ao nosso ponto de vista e bonito ao nossos olhos. Não importa se recebemos um buquê de flores ou um botão de rosa, se iremos ter a mais linda viagem em uma data especial ou um jantar romântico em casa.

Romantismo não tem fim, não escolhe pessoa, muito menos raça ou classe social. O que queremos está nos nossos olhos, no toque, no beijo. Não é difícil distinguir uma aventura de um relacionamento. Pra que dissimular sentimentos ou desejos?!

Abrir o jogo é a melhor forma de viver momentos eternos e casuais. Pessoas maduras não se enganam, vivem.

Homens... gostamos de flores, sim! Sempre!


Priscila Rodrigues.

16/05/2009

Perdi a poesia

Poesia escrita dia
8 de Junho de 2008.

Não encontro meus sentidos, minhas emoções
Onde estão meus suspiros e convicções?
Fez-se manhã e não vejo o amanhecer
Fez-se noite e não sinto o anoitecer

O mar já não é mais azul
E esse azul sumiu do céu
O mel já não tem mais sabor
Nem o prazer do eterno amor

Já não ouço o cantar dos pássaros
Nem o cavalgar dos cavalos
Não sinto o cheiro das rosas
Nem o encanto da aurora

Não ouço o barulho da cidade
No campo já não sinto o sereno
Corro conta o vento, conta o tempo
Falta-me o ar, não sinto a chuva, sinto medo

Perdi meus versos, a sintonia
Meu amor, minha ira
Quando partiu, perdi a primavera
Perdi a poesia, perdi em mim o poeta


Escrevi esse poema em meu ex-Blog "Meus Momentos em Poesias", 
que fechei dia 18/05/12, sei lá porque... 

12/05/2009

Amor no campo.



Manhã de sexta feira, no sítio de seu Manoel...

Ele: 1,80, 80 Kg, malhado, culto, inteligente, formado, vivia em um dos bairros mais interessantes da cidade. Chamava-se Marcio.

Ela: Uma moça simples, do campo, alfabetizada por sua mãe, sua pele rosada, com seus vestidos e sua voz tímida. Estes atributos faziam dela garota encantadora.

Conheceram-se em uma das viagens dele a trabalho. Ele queria fotografar, os animais, o campo e o estilo de vida dos que residiam ali. Ao direcionar sua câmera entre os cavalos no curral o "click" foi direto a ela. Admirado com sua beleza se aproximou e perguntou:

Ele: Qual seu nome, linda?

Ela: Meu nome é Maria das Graças, disse ela com seu sotaque caipira.

Antes que ele lhe dissesse “muito prazer” ela saiu correndo, com seus longos cabelos ao vento direto pra casa.

Uma noite estrelada, lua cheia e brilhante, nos pensamentos de Maria só tinha espaço para Marcio, imaginando em seus sonhos de menina seu príncipe encantado. Ele, ao revelar suas fotos, percebeu o quanto ela era fotogênica, seus traços de garota do campo davam leveza as imagens, transmitindo paz e tranqüilidade.

Cheia de esperança, Maria pulou a janela de seu quarto e seguiu em direção ao local onde encontrou Marcio pela primeira vez. Perfumada, pois tinha ganhado uma água de cheiro de seu padrinho no aniversário de 15 anos, não deu espaço para o medo e foi atrás do rapaz bonito, tentar descobrir qual era o significado da palavra amor.

Chegando ao lugar, uma lágrima caiu de seu rosto por não ter encontrado seu príncipe. Arrasada, deu meia volta, com o rostinho olhando pro chão se surpreendeu quando ergueu sua cabeça. Lá estava ele, sorrindo pra ela, se aproximando, tocando em seu rosto, e em seguida, seus cabelos. E então, ele a beijou.

Momento mágico para Maria, estava experimentando pela primeira vez o sabor de um beijo, suas pernas tremiam, seu corpo esquentava. Ele, com seu forte abraço e beijo quente, deitou Maria entre a palha e a possuiu.

Maria quis viver aquele momento, pois em seu coração dizia para seguir em frente, não se importava se seria a ultima vez ou a primeira de uma longa historia de amor, mas descobriu o que era esse tão falado sentimento e o que ele proporcionava.

Fim.

07/05/2009

Por que fiz um Blog?

Não sei!!

Hoje quis comentar no Blog de um amigo e não consegui por não ter uma conta. Foi dai que surgiu a ideia.

Sinceramente não sei sobre o que vou falar, não faço ideia de algum assunto interessante que possa contar, mas espero que possa sempre passar por aqui e contar algo novo. E que vocês gostem, claro!

Poderia contar um pouco sobre minha vida, meus pensamentos, acho que sei escrever poesia (rs) ou algum assunto que possa considerar interessante, não sei. Sobre o que escrevo em meu dia a dia é algo muito intimo, são, na verdade, desabafos sobre o que eu passo, sinto ou vejo, gosto de expor em papéis minhas ideias, já que não sou muito boa em me expressar pessoalmente e por não ter alguém pra isso.

Provavelmente não vão me ver muito por aqui, mas espero sempre que possível eu possa me apresentar de uma forma diferente, vamos ver se tenho tanta criatividade assim, se consigo me revelar.

É isso ai, pessoal, boa sorte pra mim e para os olhos de vocês ao "me lerem". Rs.

Beijos (adoro mandar beijos).