29/05/2009

Renúncia


Chega uma certa época em nossa vida que somos praticamente obrigados a renunciar algo ou alguém que faz parte de nossa historia, de nossos sentimentos, seja por causa de uma mudança de residência, emprego, relacionamento, pelo fato de queremos o melhor para nós ou pelo cansaço, por não suportar o fardo carregado.

Sempre estamos propícios às transformações, com perdas ou ganhos, renovando e prosperando nossas expectativas, nossos sonhos, desejos e rotina.

Querendo ou não deixamos laços para trás dando espaço para o novo, inédito e enigmático amanhã, fazendo-se assim nosso desenvolvimento humano ser mais sensato.

O mais difícil desta historia é renunciar algo que se considera essencial, algo que faz parte do seu dia a dia, do seu cotidiano ou costume, que esteja habituado a encontrar todos os dias e, de repente, desistir por não ter como prosseguir daquela forma. Como acontece com o amor em um relacionamento aparentemente sólido e de um dia pro outro termina, mesmo que, muitas vezes, nem sabemos o porquê.

Não importa se você é a mulher perfeita ou o homem exato, a vida nos prega peças e somos coagidos a desistir, transformar em memórias um lindo lance que poderia vingar da melhor maneira possível. Ou talvez seja ela nos poupando de aborrecimentos futuros... É, a vida é sábia..

Confesso que mudanças bruscas me assustam, mas, às vezes, é preciso para amadurecer, mesmo que seja na raça.


Um comentário:

Mirian disse...

As vezes renunciar as coisas que amamos é tão dificil, e doi tantooo.
Mas como você mesma escreveu...isso serve para amadurecer.

*Ameii seu blog...muitoo lindooo...parabéns flor.

Bjin*