30/05/2010

Só mais um antitermico, por favor..


Depois de uma febre de 40º, por resultado de minha garganta inflamada, acordei com meus neurônios falhando e minha voz rouca.

Cadê os meus direitos de falar, impor e debater? O que me resta é escrever, mas o que? Se os calafrios de minha pele ardente não me deixam satisfazer meus desejos de criar e desenvolver o que minha mente ambiciona.

Mas o pulso, ainda pulsa..

O que me resta é desejar uma ótima semana.. nos vemos entre ela.

Música do dia.. rs.

24/05/2010

Uma carta quase de amor..


Por que não foi você antes..

...antes que eu sofresse por minha vida alucinada, da qual carrego a ansiedade de querer viver o ontem e consertar o amanhã. Essa vida que me priva a alvorada, que me faz correr a todo vapor e padecer em minha tortura, louca para dar um salto no abismo de minhas paixões.

...antes que eu conhecesse o mais absurdo das razões, antes que eu me submetesse às passagens de ida para outras dimensões. Antes que eu vivesse em meio às promessas insólitas deste mundo que me trouxe um outro mundo devasso e ferino.

...antes que eu me entregasse as lagrimas por viver o mais lindo dos sonhos e acordasse descoberta, tendo que conter os caprichos de minha pele que me afoga neste rio vicioso e imenso pelo que eu pensava que poderia acontecer.

...que me trouxe a esta realidade não conhecida por mim, mas sentida em segundos o que é na verdade viver a realidade. É nessa velocidade que quero mergulhar do mais alto cais e sentir a emoção de estar contigo. É sedutor, é envolvente, é intenso e assustador. Mas é nessa ferocidade do vento em meus cabelos que eu quero me perder.
Música de nós dois

18/05/2010

Teu anseio, meu desejo - Poesia

Como faz tempo que não escrevo poesias, hoje resolvi
degustar a intimidade e fertilizar pensamentos.
Esse foi para um certo alguém ♥
Obrigada por lerem.. 

Beijos..


É em teus braços que me afogo em tua luxúria
Desvenda-me de tua vontade
No teu desempenho as posições que me revela
É onde me descubro nos lençóis submerso
de nosso suor incontrolável

Enleie nossas pernas e desnuda minha covardia
Sinta em meus zunidos quem doma o meu corpo
Sacie-se da fome voraz que sou culpada
Culpe-me de sua fúria a libertar-me a insanidade

Mate sua sede, em minha boca reclame por meus beijos
Enlace nossos corpos desarranjando em nosso leito
Prende suas mãos em meus cabelos
E peça mais uma vez, sempre mais uma vez

Descreva -me em palavras o teu anseio
De embrenhar-me a noite que seduz teu desejo
Percorra com sua boca em meu corpo
E eu te faço o que me pedes com vontade



Escrevi esse poema em meu ex-Blog "Meus Momentos em Poesias", 
que fechei dia 18/05/12, sei lá porque... 
não poderia perder os comentários dos meus amigos 
na época, né?! Estão todos aqui também ♥

Sônia Silvino disse... Boa noite, meu bem! Grata por sua preciosa visita! Pri, fiquei até nervosa com a imagem. rsrsrsrs "Você é como uma reunião de chocolate Tem talento, tem prestígio... ... Vale mais que ouro branco, Brilha mais que diamante negro, E quem tem sua amizade pede bis!!!" (Deffanny) Bjkas, muuuuitas! Sônia Silvino 18 de maio de 2010 18:54

A.S. disse... Ah!... Belo! Intenso! Sensual! Cada silaba é uma doce caricia deslizando ardente sobre a pele... Beijosss AL 19 de maio de 2010 01:16

Felipe disse... Manda mais!!! 19 de maio de 2010 05:21

Amapola disse... Nossa... que sensual! Gostoso, muito gostoso. Um grande abraço, amiga. 19 de maio de 2010 06:03

Lady disse... Olá! Vim conhecer seu espaço, amei! Uma imagem vale mais que mil palavras... Mas essas palavras são belíssimas. Parabéns pela postagem, arrasou! Tenha um lindo dia. Com carinho, Lady. 19 de maio de 2010 07:11

Tetê disse... Lindo Pri! Suas poesias são lindas, falam direto com a alma da gente... De arrepiar! Bjks Tetê 19 de maio de 2010 13:52

Everson Russo disse... Forte e intenso,,cheio de desejos e arrepios....nuances de extase de amor....um beijo querida e um dia lindo de paz.... 20 de maio de 2010 05:01

Mirtes disse... Priscila, você é uma verdadeira poetisa, menina é melhor patentear seus poemas antes que alguém se aposse, nunca vi frases tão intimas com um toque forte e angelical... parabéns. Duchas de bjssss 20 de maio de 2010 14:27

Amapola disse... Passei para lhe dar um abraço. Bom fim de semana. 21 de maio de 2010 13:45

Pérola disse... Maravilhoso amada. Parabénsssssssssssssssssss. Eu ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii 22 de maio de 2010 06:50

Fernando Bueno disse... Um dia eu ainda chego no seu nível! HAUSHUHASUHAUSH' Lindo... amei! bjãooo 1 de junho de 2010 11:16

Jisohde G. Posser disse... ola amiga, gostei muitíssimo de teu blog, tá de parabéns! Quanto ao gatinho preto, adorei, muito curioso! podes me dar uma cria dele? mais sou mais em aves, vc consegue um? te adicionei! http://unaienses.blogspot.com.br/ http://ornitologia-2012.blogspot.com.br/ obrigado. bjos. jisohde G. Posser - 120326 16.50 26 de março de 2012 12:51




12/05/2010

Estranhas lembranças..

Depois de 40 anos minha avó resolveu reformar a casa, modernizá-la com cores, azulejos e pisos da atualidade. Não estava em estado crítico, até tinha uma boa aparência, aconchegante e arejada.

Como todo dia estou lá, acompanho o pedreiro em cada canto, vendo ele quebrar e concertar de uma forma diferente, mudando os ângulos e os cantos, aumentando e transformando os aspectos de cada cômodo.

Olhando para os movimentos dele quebrando as paredes eu lembrei, ou melhor, imaginei meu avô a construindo, pois naquela época eu não existia, mas senti em cada destroço o suor de meu avô.

Foi como uma lembrança, uma saudade daqueles tempos, quando o pedreiro tirava a primeira camada do piso de barro, o despindo até aparecer o primeiro revestimento. Meu avô já havia trocado.

Aquele piso de cacos vermelhos antigo lacrimejaram meus olhos, não resisti a vontade de pisá-lo, tirei os sapatos e assim fiz. Que emoção maravilhosa, senti a presença de meu avô, parecia que, de alguma forma, ele estava ali.

Que sensação não conhecida por mim, foi como eu estivesse naquela época, uma menina correndo, brincando e colhendo uvas plantadas no canto do quintal. Elas fazem sombra sobre os poços e metade da varanda. Foi triste também ver o pedreiro soterrá-los com os revestimentos quebrados.

Essa mudança não tira a lembrança ou a saudade de meu avô, mas cada tijolo caído, cada piso extraído, foi como arrancar um pedaço de mim. Já não é como era antes, quando eu morava na casa dos fundos e corria para a casa de minha avó todo dia de manhã.

Meu avô partiu há 23 anos trás, eu só tinha 2 anos e não pude conhecê-lo tão bem, mas soube do carinho que sentia por mim, diferente dos outros netos, talvez seja essa a ligação tão forte que sinto por aquela casa, onde foi construída por suas próprias mãos.

O que me conforta é saber que a parreira de uvas permanece de pé, saber que todo final de janeiro vou poder colher, lembrar de meu avô e um dia, Deus queira que muito distante, também de minha avó.

“Momentos meus”

09/05/2010

Feliz é ser Mamãe...


Comecei a escrever uma homenagem a minha mãe, escrevi, apaguei, escrevi novamente, apaguei.. escrever sobre quem amamos é tão fácil, mas, ao mesmo tempo, nos deixa dúvidas, pois querermos escrever o melhor, o poema mais bonito, mais detalhado, que expresse nosso sentimento mais agradável.

Tentei escolher as palavras mais sublimes, traduzir em poucas linhas o seu significado, divulgar o quão importante é nossa mãe ou ser mamãe. Então, decidi fazer diferente, fiz um dicionário com uma só palavra a ser traduzida.

Mãe: Sf/Sm (substantivo Feminino e Masculino) 1- Mulher guerreira, forte, luta pelos seus filhos como uma onça que protege seus filhotes. 2- Carinhosa, prestativa, dedicada, voluntária. Doa-se por inteira em prol sua família. 3- Bondosa, caridosa, promissora, emotiva. Sentimentos verdadeiros regem por seus descendentes. 4- Amiga, companheira, confidente. Esta sempre pronta a ajudar no que seu filho precisa. 5- Batalhadora, múltipla, talentosa. Torna-se duas ou mais para satisfazer as necessidades de sua criança. 6- 7- 8...
Existem vários significados para definir, não a palavra e sim, a mulher que recebe a benção de ser mãe. E neste dia mostramos a elas o quanto são importante...


05/05/2010

Mulheres que amam de menos. Não anônimas!

Fatos verídicos, aqui fantasiados, escritos por mim, narrados por amigas queridas em conversas de esquinas. A elas, meus agradecimentos.

Cris: Eu, Cristina, estou namorando há dois meses com um homem lindo, chama-se Roberto, é um moreno alto e forte, me leva a lugares suntuosos e me compra do bom, do melhor e do ótimo. Muitas morrem de inveja (haha).
Mas não tem conteúdo, aliás, eu arrumo tanto homem lindo e sem cultura. Esta certo, eles que pagam as contas, mas eu que sugiro sempre os lugares, porque por eles nossos passeios seriam em parques de diversões.

Nós: Hum.. Já vimos muitos “literatos” atrás de você, por exemplo, o Marcio.

Cris: O Marcio, aquele cabeça de ovo?! Para, amigas, nem se eu tivesse cabelo duro.. hahaha..

Nós: Hahaha.. Então continue com seus objetos, fazendo de seus relacionamentos acessórios humanos e invejáveis.
Michele?

Chele: Eu, Michele, estou namorando faz um ano e meio com William, ele, desde o começo, me traz flores, bombons, é super carinhoso, romântico, chega a enjoar.
Parece que eu atraio esse tipo de homem, esses que me tratam como uma boneca de enfeite e intocável, me levam ao cinema pra assistir filmes líricos.. Aff.
Eu queria é um homem mais atrevido, que não me ligasse a cada minuto perguntando se eu estou bem. Parece até que sou doente, que preciso de cuidados a todo tempo.

Nós: Hum... Chele, você parece mesmo uma bonequinha, fala doce, tem um jeitinho delicado... por que não ficou com o Rogério, então?

Chele: Que?! Aquele Ogro só pensa em futebol, bar e cerveja. Não tem uma gota de delicadeza, na escola de boas maneiras ele tirou nota 0.

Nós: Então, Caçulinha linda da turma, não reclame da atenção do seu namorado e “sossega o facho”.. hahaha..


Elas: E você, Priscila, qual é a vítima dessa vez?

Eu: Haha.. E quem disse que são vítimas?! Hoje em dia estou em época de reflexão, apenas analisando territórios, conhecendo novos conceitos, outros recintos. Understand me?

Elas:Ahhhhh.. Vamos jogar bilhar!



Depoimentos de algumas de minhas maluquetes, logo mais Manu e Paty.. ;)

02/05/2010

Um sonho, talvez..

Hoje de madrugada acordei com um clarão em minha janela, assustada, não conseguia abrir os olhos para saber o que estava acontecendo, minha vontade era de gritar, mas eu não conseguia, minha voz não saia.

Senti um vento forte e um barulho parecido com um helicóptero que abafava o som da minha janela se abrindo e passos vindo em minha direção. Não conseguia me mexer até que ouvi um sussurro dizendo: “Não tenha medo”, e apaguei.

Acordei em um quarto cheio de luzes com apenas uma maca a qual eu estava deitada, já não sentia medo, mas estava confusa, não parecia um sonho. O quarto não tinha porta, não sabia como tinha entrado.

Olhei ao meu redor e percebi um espelho grande, sai da maca em direção a esse espelho e me olhei, estava com um vestido longo branco de seda e renda, em minha cabeça um arco de ouro trabalhado parecendo uma coroa.

Pensei: “Será que morri?!”, não me lembrava de nada em minha vida, minhas lembranças começavam em meu quarto após aquele clarão, nada anterior. Decidi procurar algo pelo quarto, mas não sabia o que, apenas procurava, até que achei uma caixinha branca no canto do quarto. Abri a caixinha e nela estava um anel dourado e trabalhado como minha coroa, mas, ainda assim, não entendia o que acontecia.

Coloquei o anel em meu dedo e na mesma hora senti uma forte emoção, uma paixão incontrolável ao mesmo tempo uma paz nunca sentida antes, fechei meus olhos por alguns segundos até sentir alguém me abraçar. Um abraço envolvente e acolhedor, dele um sussurro dizendo “Me ame”, me virou e me beijou, ainda com meus olhos fechados, correspondi aquele beijo agradável e inexplicável.

Ao abrir meus olhos me deparei com homem, não consegui ver o seu rosto, mas percebi que também vestia branco, em seu dedo um anel igual ao meu e em sua mão uma rosa vermelha. Apenas aquele rosa era de outra cor, que se destacava em nossas vestes brancas e o quarto.

Antes de eu perguntar alguma coisa, das mil de coisas que passava em minha cabeça, ele disse: “Hoje é o fim e recomeço, não pense no ontem e não se preocupe com o amanhã”.

Em seguida senti um sono profundo, deitei nos braços dele e adormeci, quando acordei estava em meu quarto escuro e sozinha olhando no espelho, sentindo uma tristeza que não entendia e uma lágrima escorria em meu rosto. Voltei para a cama e adormeci.

No dia seguinte acordei com uma sensação estranha, não me lembrava do sonho, mas sabia que tinha sonhado algo que me deixou confusa. Sentia, também, que alguma coisa ia acontecer, não sei se pressentimento ou receio, mas era uma forte ansiedade que eu deveria sair.

Ao sair na rua olhei para a banca de rosas e lá um homem lindo com uma camisa branca comprando uma rosa vermelha, me aproximei, olhei em seus olhos e senti uma grande necessidade de o beijar, e assim fiz.
Sem explicação senti a mesma sensação daquele beijo no sonho e perguntei ao homem:

Eu: Sentiu o que eu senti?

Ele: Senti um gosto estranho de quem bebeu a noite inteira...

Na mesma hora lembrei da briga que tive no dia anterior com meu namorado, pedi desculpas ao homem e me virei, caminhando em direção a minha casa estava meu namorado com rosas vermelhas, sorrindo. Me aproximei, ele me deu uma caixinha branca e disse:

-Desculpa por ser tão imperfeito, mas eu te amo.

Meu coração disparou...