14/07/2010

O fim.


Ele não via a hora de chegar em casa pra se encontrar com ela e saciar seus desejos, tinha dias que ele nem saia só pra poder estar junto, acariciando cada canto de seu corpo, olhando cada curva que não se desfazia com o tempo.

Ele admirava seu modo de se vestir, seu modo de se despir daquele vestido branco que ela adorava colocar, seu jeito sensual de andar. Sonhava, mesmo acordado, com seus beijos, com sua voz suave que lhe seduziu desde o primeiro dia.

Ele trazia flores, dizia sempre que a amava e seria eternamente fiel, que nenhuma mulher ocuparia o lugar em sua cama, que outra jamais o atenderia da maneira que ela lhe proporcionava prazer intenso.

Certo dia, ao chegar em casa, ele encontra seu apartamento em chamas, desesperado, nada mais importava naquele momento do que salvar as únicas lembranças de sua mulher que viravam cinzas diante de seus olhos, sobrando apenas uma das fotos que ele todos os dias a pressentia.

Ao entrar em seu quarto, somente sua cama ainda havia fogo, pensou em se deitar imaginando novamente a encontrar, até ouvir uma voz doce dizendo pra não se entregar. Era ela em seus pensamentos.

Ele saiu do apartamento confuso, deprimido, e morreu de infarto em frente sua casa, onde ela havia sido morta.


16 comentários:

*Maluh Mah* Marinha Luiza disse...

Que coisa sinistra!

Priscila Rodrigues disse...

Rs.. Estou meio "Dark" hoje, Maluh.

ONG ALERTA disse...

Talvez perdido em si mesmo, paz.
Beijo Lisette

Priscila Rodrigues disse...

Só se for o rapaz do texto, Lisette ;)

Fernando Bueno disse...

diria que alternativo.. hehehe..

Ronaldo disse...

que coisa não? eu hein....

tudo em paz amiga?
saudade
bjssss
Ro

Priscila Rodrigues disse...

Fê.. vc me entende.. Rs Rs.


Ronaldo: As vezes acontece essas coisas.. Rs Rs. Estou bem, passando lá no seu =)

Pérola disse...

Que conto triste minha flor.
Me leva à acreditar que os amores verdadeiros se vão de uma forma tão trágica quando muitos espalhados por aí fazem dele o que bem entendem sem se dar conta do quanto estão machucando.
Parabéns minha flor.
Beijokas.

Sônia Silvino disse...

Ai, amiga!
Fiquei um pouco tensa, mas gostei!
Bjkas, muuuuuitas!tornomin

silvioafonso disse...

.

Tivesse eu o poder da
transcendência e eu voltava, como
venho agora. Beijava os seus
cabelos e num sopro de amor,
quase divino, pegava a flor que
você deixou, no dia em que foi
embora...

silvioafonso.



.

Tetê disse...

Esse seu conto é uma boa reflexão. Muitas vezes achamos que histórias de amor terminam com "final feliz", mas essas coisas acontecem de fato! Pri querida... Obrigada pela visita ao Livre Pensamento! Bom final de semana! Bjks Tetê

Ronaldo disse...

te mandei um email, depois leia e me responda, acho que não vai dar tempo para esse final de semana, mas para o proximo tem que dar

bjssssssssss

Biagio Grisi disse...

Olá Priscila
São tantos para visitar que só cheguei em ti agora.
Um abraço e um feliz final de semana
MUITA PAZ

Fabio disse...

olha guns vc não gosta

Priscila Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Rodrigues disse...

Pérola.. minha Flor, há casos e casos, como sabemos.. obrigada!

Sônia.. Obrigada pela visita =)

Silvio.. Lindo poema, obrigada!

Tetê.. você entendeu perfeitamente, agradeço seu comentário..

Briágio.. Eu entendo perfeitamente essa falta de tempo.. rs rs.

Fábio.. Eu adoro Guns.. =P

Obrigada, meus amores.

Beijos.