30/01/2011

Meus "micos" e eu..

 Ok.. Vou fazer do meu Blog um diário, “também”! Contando as novis..

Meu final de semana foi o máximo, foi o FDS que tirei pra me perder também (literalmente)..

Sai com meu namorado (voltei com o ex ♥) na sexta-feira, depois de várias ligações de amigos pedindo para irmos a um tal barzinho aqui perto, coisa de 5 minutos estaríamos lá se não tivéssemos nos perdido.. rs.

Rodamos uns 40 minutos até chegar no tal bar, tudo isso porque, conversando, ele passou uma só rua após a rua de entrada. Fomos parar onde o Judas perdeu as cuecas, de tão feio que era aquele lugar. E eu, morrendo de medo, ficava tagarelando para que saíssemos logo dali, e ele me pedindo para calar a boca. :O
Mas foi bem engraçado!

Ontem, sábado, foi o casamento da minha prima, ou melhor, da ultima prima solteira, conseqüentemente, eu fui o alvo dos comentários de família. Me cansei de repetir a mesma pergunta: Quem disse que eu quero casar?.. para outras perguntas do tipo: E você, Priscila, quando vai se casar? :S
Enfim, casamento não é o tema do post.

Saindo da igreja, peguei uma carona com meu pai para ir ao salão da festa e, mais uma vez, agora com meu pai, nos perdemos. Eu, novamente tagarelando e estressando meu pai, enfim achamos o lugar, depois de 20 minutos rodando, coisa que seria 5 minutos na direção certa. ¬¬

No decorrer da festa, passei a maior vergonha com minhas caras e bocas nos “Clicks” do fotógrafo, ele me pegava de surpresa, cada movimento meu era um Click dele. Acabamos amigos depois de muitas “caras feias” a ele e da vergonha que ele me fazia passar. Ele disse que vai fazer um Book só com minhas caras e posições.. haha.

Assim que fizerem o álbum eu mostro pra vocês..

O Cameraman também, não saia da minha cola, foi um complô conta mim. Ah, mas eles me pagam.. rs.

“Essas fotos não foram tiradas pela minha ‘beleza’, nada disso, e sim, como eles disseram, eu era a mais divertida da festa. Tiraram essa conclusão depois do som que eu coloquei, depois de ter apanhado do aparelho (vocês não sabem como tiraram um barato da minha cara por causa disso), e por agitar a noiva a ‘rodar o sapatinho’ junto com a gravata.. rs rs. Mas valeu a pena, consegui mais de 300 reais para eles passarem a Lua de Mel”.

Hoje, só me restou a ressaca, aliás, não entendi, porque estou de ressaca? Só tomei 5 latinhas de cerveja ô.O (rs).

Estou passando o dia bebendo suco de laranja e comendo o Brawnie, que por sinal, esta uma delícia. Quer? Fui eu que fiz..


Essa semana tem estórias.
Beijos.

26/01/2011

Eu no Patchwork..

Ultimamente estou falando muito de mim, da minha vida, do que acontece.. Eu não queria que meu Blog fosse uma espécie de diário, mas esta inevitável.. rs.

Sabe quando você recebe uma notícia que não dá pra festejar sozinha? Você precisa contar, compartilhar com alguém..

Eu não sei se “perdi um parafuso” na virada do ano, se ainda não “caiu a fixa”,mas fiquei feliz nesta ultima segunda-feira depois da visita do meu patrão na empresa. Ganhei um presente, minha carta de aviso prévio “indenizado”, ou seja, já estou fora.

Alguém ficaria feliz por isso? Rs rs. Eu sim! Explico:

Estou há mais de 3 anos sem férias, sai de uma empresa onde trabalhava à quase 2 anos numa sexta-feira, no dia seguinte, sábado, já comecei nesta. No começo trabalhei de domingo a domingo, me virei em três pra dar conta de tudo e não fui recompensava. Mas quanto a isso abafa o caso!

O único descanso que consegui foi 15 dias de licença médica em dezembro, mas estava dodói, então não fiz nada. Agora eu quero sombra e água fresca no mínimo uns 3 meses ficar de pernas pro ar, viajar, descansar e me ajustar.

Então brindemos......

Outra novidade que fiquei muito feliz: Estou no Patchwork da minha amiga Sonia, muito honrada pelo convite, por ser entrevistava por uma pessoa maravilhosa, de um coração enorme, sensível e inteligente.

Ela é dona de mais de 20 Blogs, não sei como ela da conta de todos, me surpreendo com tanta criatividade.

Ser entrevistada é tudo de bom, quem quiser me ler um pouquinho clique em mim aqui ↓ e vamos lá.

Obrigada desde já e um beijo em cada um.

16/01/2011

Ultimas notícias da Pri..


Estou triste =( .. e estou feliz =)

Começando por terça-feira, recebi um e-mail que me fez crer que: Na pior das hipóteses, o amanhã é surpreendente.
E também que: Por mais que as coisas pareçam estar perdidas, Deus nos dá uma segunda chance, mesmo que essa chance seja a 5ª, 6ª, 7ª vez... e nisso, não dormi de emoção.. rs.

Quarta-feira quase não dormi também, com uma gata no cio miando em minha laje de madrugada, que mais parecia um grito de dor: Aaaaaaiiiiii.. Aaaaaaaaaiiiiiii..

Eu adoro gatos, animais em geral, mas fui obrigada a espantar o bichano. Coloquei minhas pantufas, peguei uma vassoura e subi na laje, mas não deu muito certo, eles (o casal) pularam para a laje da vizinha e ficou difícil chegar até lá.

Quinta-feira, eu também não dormi de raiva, fui roubada (snif), levaram meu celular novinho, não era lá aquelas coisas, o LG Cookie Roxo, mas para mim estava ótimo, era perfeito..

Eu tenho raiva de usuários de droga (tenho mesmo e não nego, estão nessa vida por que querem, por idiotice e falta de personalidade), tenho raiva de ladrão, vagabundos que levam a vida fácil tirando dos trabalhadores bens soados pelo trabalho.

Ambos roubam para satisfazer suas necessidades, em vez de trabalhar para se sustentar.

A lei deveria ser uma só: Roubou e foi comprovado quem foi? Corte as mãos! Estuprou? Corte o Pin**. Assassinou? Não tire a vida, mas viva sob tortura!!

Eu vivo em um lugar não muito seguro, mesmo eu estando acostumada e conhecendo do melhor ao pior (melhor que ser amigo do que inimigo, né?), não tolero e abomino a vida do crime em todos os aspectos. Seja o ladrão que rouba para satisfazer sua fome, eu não concordo.

Vocês deveriam ouvir as conversas dessa raça, dariam razão as minhas palavras..

Eu vejo cadeirantes vendendo bala no farol para sobreviver, eu vejo crianças vendendo nos ônibus, vejo idosos trabalhando.. eu ajudo, pois vejo suas necessidades. Deveriam seguir os exemplos.

Eu sei que não são todos que tem sorte na vida, sou ciente da fome, mas uma pessoa que tira a vida de outra, roubam bens materiais de pessoas dignas, merecem viver na miséria, trancados em esgotos.

Uffa.. Desabafei! Rs.

Eu fiquei muito triste mesmo por terem levado meu celular, mas fazer o que agora?! Só posso comprar outro mesmo e andar com ele no pescoço.

Parece até egoísmo, diante de tudo que esta acontecendo no Rio de Janeiro, e eu reclamando do furto do meu celular... hoje é o ultimo dia que lamento por isso.

É o fim do mundo, concordam comigo? Na Bíblia esta escrito tudo isso que esta acontecendo.. mas essa é outra historia.

Hoje, domingo, acordei meio dia pra recuperar meu sono atrasado,e com saudade das coisas, das pessoas. Já fui ver as amigas  e agora vou ficar por aqui.

Essa semana pretendo ler até ficar com dor nos olhos, como antes.. rs. E escrever como antes também.

Obrigada por “me lerem”.

Um beijo.. e um trecho do poema de Eduardo Alves da Costa.

09/01/2011

Eu nem gosto de fotos.. ;)

Hoje estou com as idéias a diminuta, a mercê da preguiça, e meu corpo pede cama (para dormir) depois de ter passado a madrugada sem sono. Levantei cedo com o espírito da Amélia (aquela que era mulher de verdade) e limpei, lavei, cozinhei, agora arriei.. rs.

Felizmente minha madrugada em clara não foi em vão, fiz mais um Blog, um Blog de fotos, para aqueles que tem curiosidades de me ver... como já me pediram.

Clique na Pin Up tirando fotos, e vamos lá me ver, se quiser comentar fique a vontade.

Mil Beijos..

04/01/2011

Na chuva sem Guarda-chuva..


Eles se conheceram numa das ruas do centro de São Paulo, chovia forte naquele fim de tarde, transparecendo a blusa branca que mostravam suas cordilheiras que ela cobria com a bolsa.

Debaixo do toldo da loja de sex shop, os olhares dele direcionados a cena encantadora e sensual daquela blusa branca produziam nele sentimentos e efeitos como a pílula azul.

Blusa branca é sua paixão, seu fetiche em dias de chuva sem guarda-chuva e ela estava lá, toda exposta diante de seus olhos.

A chuva aumentava, o toldo balançava, o vento soprava contra eles..

Ele a chamou para se esconder da chuva dentro da loja, dizendo: Vamos entrar até a chuva passar delícia..
Naquele clima romântico e convidativo ao intimo, se apresentaram enquanto passeavam pelo sex shop.

Ele, atrás dela admirando suas pernas seu andar atraente, sua roupa molhada marcando suas curvas elegante e seu perfume suave, o deixava com vontade de levá-la para cama chamá-la para sair.


Ela, o olhando melhor, notou o quanto ele era gostoso agradável, encorpado bonito e digno de aceitar um suposto convite de ir pra cama tomar um café.

Alguns minutos de silêncio e fantasia reflexão, pensando em sair dali para um lugar mais intimo apropriado para se tocarem conversarem, eles decidiram trocar telefones e se ligarem mais tarde.

Fim.. =)

02/01/2011

Ode to a Nightingale..

Quero falar de Jonh Keats, de poesia..
Keats morreu aos 25 anos acreditando ser um fracasso, hoje ele é reconhecido como um dos maiores poetas do romantismo.
Assisti ao filme feito em sua homenagem, “Brilho de uma paixão”, é um pouco monótono, mas é interessante, romântico e triste. Triste de como foi sua morte, triste pelo sofrimento de Fanny Brawne, sua quase mulher.
Vale a pena conhecer o filme, Jonh Keats e suas poesias, eis aqui uma para começar o ano com um pouco mais de sentimentalismo.
Copiei como narra o filme, foi difícil achar a poesia inteira pela net, menos ainda, o título da poesia. Mas creio que seja “Ode a um rouxinol” . É lindo, adorei e quero dividir..
Se quiser ouvir, clique aqui:


Ou Ler..

Meu coração dói
E um torpor apático aflige meu juízo
Como cicuta eu houvesse bebido
Ou algum estúpido vulpino houvesse inalado
E após um minuto houvesse me afogado

Não é por inveja o tanto que possui,
Mas na tua felicidade excessiva na qual sou feliz
Que tu, leve tria de alada de campos arvorados
Em alguma trama de faias verdes e incontáveis sombreados
E sobre o verão entoava os cantos despreocupados

Oh, Por um gole de vinho cegado
Resfriado por um longo tempo nas camadas profundas da terra
Com sabor de flora e do verde da serra
Dança a canção provençal e jubilo bronzeado

Oh, Por uma taça cheia do sul caloroso
Cheio do verdadeiro rubor do hipocrene
Borbulhando de espumas até a borda
e tingindo de púrpura os lábios que a tocam

Aquela taça eu sorveria e o mundo se tornaria invisível
E contigo eu desapareceria em uma remota floresta
Sumir para bem distante
Até esquecer completamente
Contigo no meio da folhagem

O cansaço, a angustia e a aflição
Aqui onde os homens sentam e escutam
Um dos outros os gemidos
Onde a agitação e a tristeza sossegam um pouco
Onde a juventude cresce firme
E os fantasmas morrem

onde pensar estará salvo do sofrimento
E o plúmbeo olhar desaparece
Onde a beleza não pode ocultar teu olhar brilhante
Nem um novo amor ansiar por algo além da manhã

longe, muito longe eu voarei contigo
Nunca pela carroça Baco puxada por seus leopardos
Mas nas asas invisíveis da poesia
Contudo, o pensamento se assusta e se atrasa
Já contigo suave é a noite e por acaso a rainha lua
Encontra-se no seu trono cercada por sua corte de estrelas

Mas aqui não há luz, excetoa que vem do céu com o sopro da brisa
Através da umbrosa verdura e de caminhos serpenteantes e revoltosos

Não posso ver as flores aos meus pés
Nem sentir o oloroso incenso que paira sobre a ramagem
Mas inebriado na penumbra
Acho tudo doce

Graças à oportuna primavera
Contemplo a relva o bosque e as arvores frutíferas
Claros espinhos e madressilvas silvestres
Fugazes violetas deitassem sobre as folhas
E destacam-se o seu mais antigo broto

Surge uma rosa amarela cheia de orvalho
A sussurrar sua habitual canção do entardecer
Secretamente escuto
E muito tempo fico quase fascinado
Pela leveza da morte

Chamei-a por palavras ternas em várias rimas
Para se mesclar ao ar da minha calma respiração
Agora, mais do que nunca
Parece doce morrer para tudo acabar a meia noite
Sem nenhuma dor, enquanto tua arte flui
Tua alma te abandona num êxtase absoluto
E ainda tu cantarias e eu escutaria em vão
A fim de que teu réquiem tornasse um adeus

Tu não nasceste para morrer, pássaro imortal
Nem a fome dos homens ousou te abater
A voz, que a noite passada eu escutei
Também foram ouvidas pelos palhaços e imperadores de outrora

Talvez a tua própria canção há de encontrar o caminho
Através do triste coração de ruthe
Quando o doente em sua casa,
Ela chorou lágrimas nutritivas que te alimentaram

As mesmas que te veste
Muitas vezes nos mágicos beirais
Nas espumas das vagas de perigosos mares
Ou na terra encantada do desespero

Desespero
Esta palavra é como um sino
Cujo dobre trás me de volta ao meu passado

Adeus
A ilusão não pode enganar para sempre
Adeus, adeus
Teu lamentoso canto silencia
Ainda pouco se ouvia perto das campinas sobre o regado
Nas encostas das montanhas

Mas agora esta sepultado profundamente
numa clareira de um vale próximo
Teria sido uma alucinação ou um sonho velado
E acabou aquela música
Estou desperto ou durmo

Trailer do Filme: