25/03/2012

Ela só queria falar..

Nos últimos dias Peterson e Alexandra estavam se desentendendo, brigando por pouco, e mal faziam amor. Depois de oito anos de namoro, ambos não conseguiam mais se entender, nem mesmo poupar certas palavras.

 Ele a culpava por exigir o tempo que ele não disponibilizava para, por exemplo, fazerem compras juntos para a futura casa. Não gostava de almoçar na casa da sogra de domingo e não queria ter um cachorro.

Ela o culpava por não ter a atenção que precisava, dizia que passava mais tempo no trabalho do que com ela. Não aceitava de sexta a noite ele estar com os amigos e não suportava seu celular tocar a cada hora.

Chegando ao restaurante, que já era o combinado de se encontrar a noite, eles não disseram nada, nem mesmo boa noite ou perguntaram o que um ou outro iria pedir. Jantaram em silêncio, beberam e, antes de sair, quase que juntos disseram: Precisamos conversar.

Ela: Acho que não consigo mais levar a diante nosso relacionamento, não adianta conversarmos que acabamos sempre nas mesmas brigas. Você não me entende, não esta mais tão presente, passa mais tempo em seu trabalho do que em  minha cama. Reclama por ciúmes quando não me encontra em casa, mas na sexta à noite você encontra seus amigos ao invés de ir me ver.

Ele: Eu só queria que você...

Ela (o interrompendo): Não precisa dizer nada. E ela saiu sem deixá-lo dizer nada.

Entristecido, ele não voltou pra sua casa, ligou para seus amigos e os encontrou no bar de costume para desabafar. Mas não parou de pensar na Alexandra, não queria ficar brigado. Tentou ligar em seu celular, mas ela não o atendeu.  

Ela, já sabendo que ele não iria voltar tão cedo, pois sabia que ele iria se encontrar com os amigos foi direto a casa dele. Afinal, ela também não queria continuar brigada.

Depois de muito conversar com seus amigos e beber para esquecer o acontecido ele foi pra casa, triste e pensativo, pois queria passar a noite junto com Alexandra. Lamentando por não estar sendo tão bom companheiro como ela merecia, queria dizer a ela que mudaria sua rotina.

Ao chegar em casa, com lágrimas nos olhos e coração apertado, foi direto tomar um banho pra ver se conseguia se acalmar. Estava tão pensativo que não enxergou uma champagne com duas taças em cima da mesa de canto.

Saindo do toalete encontra Alexandra em sua cama nua. Ela estava vestindo apenas um robe branco e uma calcinha de oncinha, uma que prometera vestir no próximo encontro.  

Quase não conseguindo se conter, deitou com Alexandra dizendo que sentia muito, que reveria seus hábitos entre outras explicações.

Ela, sorrindo, lhe disse: Amor, você só não é perfeito porque perfeição não existe. Eu não me importo que você trabalhe de mais, é sua vida. Eu jamais interviria em suas amizades de infância. Tenho sua atenção e sei que não posso deixar de te amar.

Ele, já aliviado: Você me assustou, mas valeu para pensar no quando lhe quero e que também não posso deixar de te amar. Pode não ser verdade o que você disse no restaurante, mas mudarei minha rotina mesmo assim, não quero que um dia isso seja real.
Eu sei que vamos nos desentender muitas vezes, vamos brigar por nada e discutir por qualquer coisa. Mas a maneira que lidamos com isso é o que mantêm a força de nosso relacionamento. E a reconciliação é sempre perfeita.

Ela, em seus pensamentos: Funcionou, só falta convencê-lo do cachorro! O beijando.. 

4 comentários:

Tetê disse...

Ah... o que a gente não consegue entre lençois perfumados? Pri, obrigada pela visita ao Livre Pensamento! Bjks Tetê

Meu Jardim disse...

Pri, sou sua fã!!!
Uma semana maravilhosa para Você =)
Deus te abençoe.
Beijão.

Everson Russo disse...

Por amor se consegue tudo nessa vida...beijos de bom dia pra ti amiga.

JLynce disse...

Na cama tudo se resolve...
:)))