14/03/12

Será possível amar duas pessoas ao mesmo tempo? ♥


Não amamos pessoas da mesma forma, intensidade ou quantidade de tempo, mas sabemos que o sentimento é quase o mesmo. Pessoas tem seu jeito de amar, seu jeito de demonstrar, se quer amar junto a pessoa, ou apenas a amar..

A vida nos leva a caminhos que nem sempre gostaríamos de seguir. Existe aquele amor pra toda a vida, aquele amor interrompido, aquele amor individual, amor proibido. Amor que dá sorte, que podemos, enfim, ficarmos juntos, ou guardarmos junto a lembranças pro resto de nosso tempo..

Com o tempo aprendemos, ou descobrimos, se era verdadeiro o amor que sentíamos por aquela pessoa que não estamos mais juntos, ou uma paixão da época. É diferente como a recordamos, como queríamos, como formos impedidos a não viver, mas não significa que não foi intenso, que não seja verdadeiro.

Às vezes o amor é tão forte que temos que nos afastar, um amor não saudável que você a ama mais que a si mesmo. Com ajuda conseguimos moderar o sentimento, e com maturidade conseguimos seguir em frente.

Amor não tem orgulho, mas o caráter da pessoa que ama tem dignidade. Quem ama não trai, não magoa, não crucifica, mas quem ama também erra. Erros incorrigíveis, imperdoáveis, erros tolos reparáveis. Quem é capaz de perdoar?

Às vezes perdemos o nosso grande amor em acidentes, ou a pessoa estava doente. Esse amor, que era tão forte, tão bonito, se transforma, se purifica, mas nunca termina. Amamos esse alguém pra toda a vida, mesmo que encontramos outro alguém capaz de amar. Alguém que acreditamos ser digno de receber o melhor que a vida nos obrigou guardar.

Não vou relacionar pesquisas ou provas de terceiros que amar mais de um é possível, pois há tanto a ser dito, há tanto a ser demonstrado, sentido, vivido.. Se confinarmos à lei urbana em um todo, que só podemos amar uma pessoa, caímos no preconceito de acharmos que há alguma coisa errada com nossos conceitos, com o que vivemos.

Eu amei e amo. Aqui, em poucas linhas me exponho, ou revelo o que sei do amor, como eu vivo com o amor. Eu sei que fui verdadeira, que meu amor é válido e digno de ser respeitado e compreendido.

Se eu não pude me repreender a não amar a outro além do primeiro, que culpa eu tenho se a vida quis assim? Eu apenas prossegui.. Não deixei de amar, eu aprendi a dividir, a conviver com o que a vida me designou. Guardei cada amor comigo, cada um com seu jeito, sua magnitude, sua lembrança..

E ainda sou capaz de amar e continuar amando..  

3 comentários:

Henrique disse...

Lindo, lindo, lindo...

Moni Abrao disse...

"Aqui, em poucas linhas me exponho, ou revelo o que sei do amor, como eu vivo com o amor."

Adorei

Jisohde G. Posser disse...

Pronto!
Já estou sentado em teu divã!
Adorei!
Muito confortavel tudo por aqui, sem contar das doces palavras.
bjos
Jisohde G. Posser - 120326 18.30