02/07/2012

Cartas Guardadas II


Cartas que foram escritas há muito 
tempo no intuito de ser entregue 
e receber respostas..
As próximas cartas revelarão
segredos e sentimentos
que não chegou ao seu destino..


Essa é a segunda carta que escrevo, não consegui entregar a primeira por vergonha e medo que você não sinta o mesmo. Não sei decifrar esse seu jeito de me olhar, de pegar em meus cabelos e cheirar.

Aquele dia brincando de esconde-esconde eu pensei que você iria se esconder comigo, mas você correu junto com minha prima, até perdi a direção e não fui me esconder. Fiquei ali parada, pensando, sentindo não sei bem o que. Até ser puxada pelas mãos do Ney pra ir com ele se esconder.

Estávamos em cinco atrás do caminhão escondidos, e lá o Ney disse que gosta de mim e até me pediu um beijo. Eu disse que não, sai de lá depressa, morrendo de vergonha. Isso foi um minuto antes de eu bater cara (ainda bem que o Felipinho estava longe).

Depois ouvi a Taty falar que você queria alguma coisa com minha prima, por ter ido atrás dela se esconder. Eu fingi que nada estava acontecendo, pois até agora ninguém sabe dos meus sentimentos.

Eu não sei o que você sente, eu só sei do que eu sinto. Então, seja qual for o seu interesse diga a mim abertamente, se não for o que eu espero vou entender, afinal, eu nunca disse ou demonstrei algo por ti antes. 

E me desculpe por quase não te chamar para brincar, acho que não sei lidar muito bem com meu gostar de você. Estou mais tímida que antes, mal consigo pensar em algo para conversar. Então, não pense que estou querendo me afastar quando o que eu mais quero é poder te abraçar e te dar um beijo.

Termino minha confissão por esta carta, espero que goste das minhas palavras. Deixo-lhe um beijo e o perfume que adoro pra você me sentir pertinho de ti, assim como eu te sinto aqui.

Ah, outra coisa: Amei aquele abraço apertado me desejando Feliz Aniversário... 


As outras cartas podem ser lidas AQUI.