26/02/14

Encaixes















Sem demora, principiamos nossa história
Compartimos espaços, afagáveis momentos
Trocamos saudades por horas de prosas
Provamos do doce, salgado e azedo

Se entristeço, me aconchego em seus braços
Se percebo teu cansaço, me faço de leito
Antes de amanhecer, alternamos abraços
Antes da despedida, nos adornamos de beijos

De fantasias, rascunho de dia meus pensamentos
As vontades de estar junto a todo instante
E abraçar, com nosso jeitinho, a todo momento

Desarmonias não duram um dia
Angústias não duram uma noite
Não obstante, mantemos companhia

14/01/13

Cartas Guardadas lll

Cartas que foram escritas há muito
  tempo no intuito de ser entregue
  e receber respostas.. 
As próximas cartas revelarão
 segredos e sentimentos
 que não chegou ao seu destino..


Bruno, esta é a terceira tentativa de lhe entregar uma carta. Se for do seu interesse, depois de ler esta eu também lhe entrego as outras.

Depois de muito pensar cheguei a conclusão que posso mais guardar este sentimento só pra mim. Estou me confessando, me declarando, seja como for, estou com urgência de lhe dizer que gosto de você. Esta ficando mais forte a cada dia e já não posso suportar calada esse meu gostar.

Hoje, conversei com minha prima, que também é minha melhor amiga, eu disse a ela o que eu não consigo dizer pessoalmente a você. Ela me incentivou a lhe escrever, escrever e entregar de uma vez por todas!  

Ah... eu nem deveria ter citado que conversei com minha prima, eu deveria ser mais direta e objetiva, mas não aguento mais pensar em como lhe dizer e não aguento mais rasgar papel e refazer. Você não deve estar entendendo nada, mas a verdade é que gosto de você e não sei como falar e muito menos demonstrar.

Esta tudo muito estranho e sinto que estou ficando diferente. Eu não paro de pensar em você um só minuto, tenho ciúme das amigas da sua irmã e já não só parece que a saudade dói, esta doendo de verdade. Eu tenho medo, meu coração acelera quando te vejo e minha voz fica muda, eu fico sem assunto.

Acho que já passei dos meus limites de suportar o que esta de errado a minha volta e eu não dizer nada. Esta me fazendo mal de verdade ficar de braços cruzados quando eu poderia dizer simplesmente que te gosto. E gosto muito!

Quando eu mencionei o seu sumiço aquele ultimo dia que te vi, você disse que eu estava mudada, por isso não me chamava mais em casa. Viu como as coisas a minha volta estão erradas? Eu peço desculpas, pois como eu disse, eu estou ficando diferente. Até meus pais já perceberam que eu estou diferente, meio aérea e rude. Deve ser porque eu tenho muita coisa pra dizer e não consigo, mas, enfim, esta dito toda a verdade, espero que compreenda toda essa mudança estranha e repentina.

Eu quero poder dizer tudo isso e mais coisas pessoalmente, mas primeiro leia essa carta, depois eu penso no que faço a seguir...

Termino aqui lhe deixando um beijo e um abraço, sem faltar o perfume. Esse perfume que fica maravilhoso misturado ao seu quando nos abraçávamos.

As outras cartas podem ser lidas AQUI.

29/11/12

O Atrevido.



Eu gostava quando você chegava sem avisar, assim, de repente, sem antes me telefonar. Achava tão intimo, tão atrevido, tão natural. Gostava por ser atrevido e natural. Pois foi assim que te conheci: Atrevido e natural.

Você não chegou perguntando “minha graça”, não perguntou se estava tudo bem ou se poderíamos conversar. Você foi logo apontando o descosturado de minha blusa e que a cor marrom não me caia bem. Eu adorei, eu também nunca gostei de marrom.

Achei um fofo você chamar seus amigos pedindo a eles trazerem as cervejas, pois tinha conhecido uma mina bacana. Eu nunca gostei do vocábulo “mina”, mas em você ficou fofo. Eu também não gostei daquele seu amigo de topete ensebado, pra mim, isso é coisa de gente que não toma banho direito; Gostei do seu, bagunçado. Enfim...

Me despedir de você depois de meia hora de conversa junto aos seus amigos por não aguentar mais conversa sobre futebol e mulheres, foi tão... tão... tão romântico. Juro que não poderia imaginar aquele beijo surpresa junto com a frase: Amanhã estarei aqui, vem às 21hs.

Eu, sem jeito até para dizer um simples “quem mandou me beijar?”, não sabia se eu te repreendia ou repreendia a mim por me deixar levar por quase um impulso – ou a falta de impulso -, mas sou obrigada a concordar: O beijo enfraqueceu qualquer possibilidade de dizer um não no momento.

Como foi que começamos a namorar? Ah, sim, naturalmente... lembrei! Como eu poderia me esquecer daquele dia que você disse: Vamos ali comigo. Eu, ingenuamente, disse sim. Acho que sua mãe e eu fizemos a mesma cara de pastel quando você me apresentou a ela como sua namorada. Acho que a sorte do dia foi termos conversado naturalmente depois de um copo d’água.

Pois é... 

Tão natural como incongruente, nossa repentina distância nos impossibilitou cultivar qualquer laço. Tão naturalmente estaríamos presos a ciclos e círculos de repentinas idas e voltas. Mas não naturalmente predispostos a recomeçar para continuarmos natural.

Não me lembro do que não foi bom... que bom!

18/11/12

Salada dos sonhos [3] – O bebê grilo.



Tive um sonho muito louco hoje, cujo significado, acredito eu, que seja o instinto maternal aflorando por eu ser mulher e ainda não tenho filhos. Só não entendi qual é a do grilo, porque um grilo? Tanto mamífero e logo um grilo?! Kkkkkk.

Sábado eu fui à manicure com minha prima. Como a manicure tem hoje um filho de dois meses, pra ela ter tempo de trabalhar sem pausa, eu fiquei segurando seu bebê – que pra mim não foi esforço nenhum -, fiz até ele dormir. Amei! E acho que isso ficou no meu subconsciente, então sonhei:

Eu estava subindo uma rua para ir numa festa nessa mesma rua, só que no topo dela, e pelo caminho encontrei um grilo órfão (?), chorando. Eu fiquei morrendo de dó, cortou meu coração. Então eu peguei esse grilo e levei pra uma casa, que no sonho era de uma amiga, pra cuidar dele.

Nessa que eu peguei o grilo e entrei na casa eu senti um amor tão grande que eu passei a ter leite materno, então eu dei de mamá pro grilo com meu próprio leite de peito (kkkkkkk). Me senti em êxtase, eu tinha virado mamãe...

Como o grilo tinha parado de chorar por eu alimentá-lo, eu voltei pra festa na rua junto com meu filho grilo. O coloquei na rua, próximo a calçada, e fiquei na frente dançando, mas sempre olhando pra trás pra ver se meu grilo estava bem.

Dê repente, eu ouvi o som de um carro vindo em nossa direção na maior velocidade, mal deu tempo de eu virar pra trás e pegar meu grilo o carro passou o atropelando... L Quando eu vi meu grilo partido em quatro pedaços eu gritei, chorei, fiquei doida...

Chorando muito, eu peguei os pedaços e o “montei” novamente, mas a cabeça tinha se misturado com outro inseto que estava perto e, também, atropelado. Então acabei colocando a cabeça desse outro inseto no meu grilo. Ficou aquela coisa bizarra, e eu fiquei olhando  tentando entender o que era aquilo e ouvi minha amiga dizer: Não é a cabeça dele, tira isso, vamos procurar a cabeça certa..

Eu pedi pra todo mundo me ajudar a procurar a cabeça do grilo, desesperada e com dor no meu coração. De repente eu estava dentro de um helicóptero procurando a cabeça do grilo... kkkkkk.

Enfim, o sonho terminou comigo dizendo para o piloto que eu queria descer. Quando desci eu acordei com dor no peito de tristeza.. L kkkkkkkk. Só eu mesmo pra ter um sonho louco atrás do outro.

De tarde eu dormi de novo, sonhei que fui traída pelo namorado que nem tenho, fui chorar num quartinho na casa da minha avó e lá encontrei duas bonecas minha de quando eu era criança. Pedi chorando, e soluçando, pra minha tia me dar aquelas bonecas que eu queria muito... Ela me deu, eu acordei e fim. (kkkkk)

16/10/12

Autoavaliação..



Não sei bem qual a palavra certa pra descrever meu modo de ser quanto às pessoas, incluindo amigos, colegas ou parceiros. Eu tenho um jeito individual de ser, estar, contribuir, participar, me envolver...

Sou bastante imprevisível e complicada de se entender (ou não), só quem me conhece a risca sabe qual atitude eu tomaria em relação a algum fato ocorrido ou caso futuro. Tanto que, eu sou mais conhecida que nota de um real, mas, são poucos os que estão ao meu lado, por não se afeiçoarem com minhas maneiras - isso também explica o fato de eu amar tanto a esses poucos. Eu “mato e morro” pelas pessoas que estão comigo.

Eu também não tenho orgulho de ser assim, só sou assim e pronto, sem querer caracterizar uma personalidade, bater no peito e dizer “eu sou foda, sou assim” ou lamentar por não ser diferente, mais participativa... Não julgo como caráter ou personalidade, eu pondero isso como parte do meu cansaço (tanto físico, como mental) e respeito com meus limites.

Com o passar dos anos eu adquiri certa necessidade de ter mais tempo pra mim, reduzir a energia que gastava “indo ali” na colega conversar, na balada todo final de semana ou no churrasco do amigo. Eu vou se tenho vontade, disposição, pretensão...

Também não sou daquelas que esta todo dia entrando em contato, mas se você precisar de mim é só me procurar que eu, com certeza, te ajudarei da melhor forma possível.

Se me aceitar do jeito que eu sou vamos ter amizade a vida inteira, pois eu também sou de me ceder, sou de  me doar, sou de fidelidade e parceria. Mas se, por qualquer coisa, venhamos a nos desentender eu darei tchau sem lagrimar, mesmo que, supostamente, possa sentir sua falta.

Eu tenho certa necessidade de ficar sozinha, de ficar comigo, de ser individual e independente. E a única coisa que espero de alguém é compreensão, assim como eu tenho por aqueles que considero.

Já passei por tanta coisa nessa vida (não subestimem meus 27 anos), já “perdi” tantos amores, que aceitar é meu lema e seguir em frente é a única coisa a ser feito. Já não sofro mais por pessoas que vão embora, já não me importa que falem de mim pelas costas, não me importo o que pensam ao meu respeito, pois se é amor eu vou continuar amando, mesmo não mais sendo amada.

Confesso que já desci do salto em bate bocas de briguinhas sem sentido e inúteis. Mas se eu me deixei levar por essas futilidades foi por esquecer que sou daquelas que se alguma coisa me incomoda eu me afasto sem dar satisfações.

Enfim... ressalto: Não é porque estou longe que deixo de me importar. Não é porque eu nego que eu deixo de gostar ou querer. Não é porque eu não participo que sou impassível... Só sou assim, fazer o que?!

13/10/12

Versatile Blogger


Faltam-me tempo, meios, paciência, desejos, dinheiro e disposição. Estou triste por tantos motivos que nem sei escolher um pra comentar.

Às vezes acontecem coisas boas, como os e-mails que estou trocando nesse momento, eu adotei uma gatinha que ainda mama na mamadeira e meu querido Lynce me presenteou com o selo “Versatile Blogger”, com o encargo de dizer 7 coisas pessoais.


Não sei se vou me sair bem em me autoavaliar, mas vou tentar. Vamos lá:

1 – Trabalho desde meus 14 anos. Fui recepcionista até meus 23 anos, hoje sou administrativa pelo decorrer de minhas experiências entre uma empresa e outra, mas odeio trabalhar.. Nas 3 próximas informações eu explico.

2 – Eu odeio acordar cedo, pois sou daquelas que tem insônia a noite e sono de dia. Só não fico mais 3 noites acordada porque tomo remédio que me faz dormir e acordar.

3 – Desde que me conheço por gente odeio receber “ordens”, eu aprendo a lidar (aceitar, além de disfarçar) com tais situações quando não tem jeito, quando eu devo acatar, como um patrão ou meus pais, mas é com muita dificuldade.

4 – Odeio obrigações! Tudo que se torna obrigação é um fardo pra mim. Eu tenho uma necessidade incomum de me sentir livre, de poder respirar ar livre quando eu bem entender. Graças a Deus eu tenho essa liberdade em meu trabalho atual.

5 – Eu tenho mania de organização, se eu não colocar em ordem o que eu devo fazer no dia eu empaco, não saio do lugar. O problema é quando não consigo me organizar por mais que eu tente.

6 – Eu amei somente 3 homens na minha vida (amor de parceiro), e amo esses três homens até hoje (em algum outro post eu conto).

7 – Sou limitada fisicamente (embora não deixe transparecer), extremamente tímida, bravinha, moleca, palhaçona, muito carinhosa, boa ouvinte, beijo bem, faço amor gostoso e sou totalmente reservada (por natureza). (Sujeito a alterações, rs)

Acho que foram 7.. rs. Ou será que eu devo mencionar meus vícios?  Não, melhor não...

E, como não estou andando muito pelas fanfarras da blogosfera, fico devendo as indicações J

Meus beijos